PM volta à USP para retirar grevistas

15 out
professores da rede estadual também ameaçam parar
SÃO PAULO. A Polícia Militar voltou ontem à USP para retirar funcionários em greve que bloqueavam portarias de prédios da instituição. A entrada da PM foi em cumprimento a uma ordem de reintegração de posse. O governo de São Paulo está sendo pressionado também por professores da rede estadual. Em audiência diante da Assembleia Legislativa, 4 milprofessores resolveram ficar em estado de greve até dia 16. Se não houver acordo, ameaçaram parar por tempo indeterminado. Houve confusão e bate-boca entre professores, que queriam fazer uma manifestação na Avenida Paulista, e sindicalistas, que não concordaram. A polícia usou bombas de efeito moral.
O governador José Serra (PSDB) não comentou as greves. O secretário da Educação, Paulo Renato Souza, disse que as exigências dos professores são “infundadas”.
– A negociação tem que respeitar o interesse público e o dos alunos. Se você pede o impossível, não dá para negociar. Concurso de efetivação é impossível – disse ele.
*Com o G1

 

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: